Os drones vem se tornando uma tecnologia comum nas pequenas,  médias e grandes propriedades rurais no Brasil. Esses pequenos notáveis permitem monitorar a lavoura em todas as etapas, desde o preparo do solo para plantio até a colheita, de maneira rápida e eficiente. 

 

Um dos principais serviços que tem impulsionado o uso dos drones na agricultura está em encontrar pontos críticos de interesse como pragas, plantas invasoras e deficiências nutricionais na lavoura. 

O mapeamento da lavoura com drones permite o uso mais econômico dos insumos agrícolas, mão de obra e tempo. Um mapeamento que levaria dias para ser realizado, com o uso do mapeamento aéreo com drones, pode ser concluído em algumas horas.

Rodrigo Florencio, Engenheiro Agrônomo e Founder – Avant Agro

O mapeamento aéreo feitos por drones produzem imagens que serão transformadas em dados com informações georreferenciadas em softwares no escritório. Estes dados são analisados pelo engenheiro agrônomo que é o responsável por gerar os relatórios e informar sobre as prioridades para cada parte da área plantada.

Talvez muitas pessoas se surpreendam, naquela viagem de férias ou num fim de semana no campo, ao passarem por um lavoura de soja ou milho,  encontrarem drones monitorando a plantação. Muito em breve eles devem se tornar ferramentas comuns, como tratores e arados, na lista de ferramenta agrícolas indispensáveis ao produtor.

 

Os drones na agricultura fazem parte de um conjunto de tecnologias que vieram aprimorar ainda mais a agricultura de precisão. Equipamentos que são usados para monitorar as plantações e resolver problemas, indicando quando e onde ocorrem, ao invés de aplicar soluções genéricas e dispendiosas em um talhão inteiro.

 

Um dos usos que tem se tornado comum é usar as imagens geradas pelo mapeamento aéreo com drones para gerar criar mapas de infestação de ervas daninhas para que os agricultores possam identificar quais áreas precisam ser tratadas.

Os drones podem ser utilizados para identificar áreas com maior infestação por plantas invasoras e permitir a aplicação de herbicidas em taxa variável resultando em economia de tempo, insumos e mão de obra.
Os drones podem ser utilizados para identificar áreas com maior infestação por plantas invasoras e permitir a aplicação de herbicidas em taxa variável resultando em economia de tempo, insumos e mão de obra.

Estudos indicam que a maioria dos insumos agrícolas aplicados são utilizados para controlar ervas daninhas. O uso dos drones para monitorar, identificar e indicar aplicações em taxa variável pode reduzir radicalmente o usos destes insumos trazendo benefícios para o meio ambiente e para o produtor. 

 

A análise das imagens captadas pelo mapeamento aéreo com drones permite detectar pequenas diferenças na “cor do campo”. Essas diferenças são analisadas por um engenheiro agrônomo e ajudam a descobrir os locais precisos onde existem plantas invasoras. O uso de câmeras multiespectrais que captam o infravermelho próximo e o vermelho limítrofe (não visíveis a olho nú) pode ser um aliado importante nesta identificação. Estes “tipos de cor” captadas pelas câmeras multiespectrais são usados para gerar imagens com índices vegetativos como o NDVI (Índice de Vegetação da Diferença Normalizada) e NDRE (Diferença Normalizada do Vermelho Limítrofe) otimizando ainda mais o dignóstico e tratamento das ervas daninhas.

O mapa analisado com o índice NDRE mostra que a aplicação do herbicida foi eficaz, mesmo apenas uma semana após a aplicação do glifosato. As ervas daninhas aparecem como amarelas (com valores moderados de NDRE) em 21 de outubro, mas uma semana depois essa área aparece como vermelha (tendo valores muito baixos de NDRE, indicativos de solo livre). Fonte: Micasense
O mapa analisado com o índice NDRE mostra que a aplicação do herbicida foi eficaz, mesmo apenas uma semana após a aplicação do glifosato. As ervas daninhas aparecem como amarelas (com valores moderados de NDRE) em 21 de outubro, mas uma semana depois essa área aparece como vermelha (tendo valores muito baixos de NDRE, indicativos de solo livre). Fonte: Micasense

Desta forma o engenheiro agrônomo produz em relatório de prescrição para aplicação dos herbicidas em áreas específicas, controlando as invasoras apenas nos locais realmente necessários. Isso porque o mapeamento com drones permite mostrar as partes do campo que estão livres da infestação das plantas invasoras indicando onde não será necessário o uso e aplicação de insumos.  A aplicação em taxa variável é possível ao integrar os dados coletados pelo drone ao maquinário agrícola disponível na propriedade. 

Mapa de identificação de plantas invasoras e aplicação de herbicida em taxa variável
Mapa de identificação de plantas invasoras e aplicação de herbicida em taxa variável

Num futuro próximo é possível que todo esse processo seja feito de forma totalmente automatizada. Drones vão sobrevoar a lavoura e enviar os dados para uma central em solo. As informações serão transferidas para um trator não-tripulado no solo que removerá as ervas daninhas, aplicará herbicida e, caso seja necessário, aplicará fertilizante extra. 

 

A AVANT AGRO é especialista em Drones na agricultura. Nós podemos mapear sua fazenda e identificar plantas invasoras de maneira rápida e eficiente. Ficou interessado em saber mais sobre essa tecnologia e como podemos intervir em sua propriedade? Fale com nosso engenheiro agrônomo, Rodrigo Florencio, através dos contatos logo abaixo.

Somos especialistas em
Drones na Agricultura e Pecuária

Entre em contato e descubra o que podemos fazer por você!